Bolo de Castanha (sem glúten)

Mesmo desmaiada de cólica, resolvi concordar com a idéia de Manel de fazermos um bolo para jantar ontem. Domingos à noite, são sempre melancólicos, ainda nem chegou a segunda, mas a gente já começa a sofrer por causa dela. E a idéia de irmos juntos para cozinha ao invés de se render ao iFood me pareceu uma fuga perfeita para a melancolia do domingo e para a maldita cólica também.

Então às 20h, iniciamos o nosso capitulo de Master Chef. Como não havíamos planejado isso, faltavam alguns materiais necessários para maioria dos bolos do mundo inteiro: leite e manteiga (por motivos de ser alimentos que mal comemos aqui em casa e quase nunca compramos). O jeito era descobrir uma receita de bolo que não precisasse nem de manteiga, nem de leite.

Na época que eu fiz residência, ganhei de presente um livro de receitas sem glúten e sem lactose que tenho um amor sem fim. E foi ele quem nos salvou ontem! Fizemos um Bolo de Castanha do Pará, que pode ser de nozes, de amêndoas, de uva passa ou de qualquer outra coisa que você queira substituir caso não goste/não tenha/não queira a Castanha do Pará.

Para fazer o bolo você vai precisar de:

6 ovos | 1 xícara de Castanha do Pará | 1 1/2 xícara de adoçante culinário em pó ou açúcar mascavo se preferir | 4 colheres de sopa de farinha de arroz | 1 colher de chá de canela em pó.

Pique as castanhas em pedaços pequenos. Separe as gemas das clara. Bata as claras em neve e reserve. Em outro recipiente, misture as gemas e o adoçante até virar um creme, adicione as castanhas, farinha e canela e misture até ficar homogêneo. Junte este creme as claras e mexa delicadamente. Unte uma forma com manteiga (no caso usamos azeite, porque não tinha manteiga e deu certo) e farinha, e leve ao forno médio por 40 minutos.

O bolo fica com uma textura de pão de ló, bem levinho. Ainda cortamos umas fatias finas de maçã e colocamos em cima para decorar o dar um saborzinho diferente e ficou muito maravilhoso. Comemos metade do bolo ontem mesmo!

Resultado: o domingo ficou menos melancólico e até a cólica passou. Moral da história: em domingo sem graça e cheios de cólica, COMA BOLO! ;)

IMG_9280 (1)IMG_9232IMG_9237IMG_9241IMG_9248IMG_9254IMG_9258IMG_9259IMG_9270IMG_9273IMG_9277 (1)IMG_9281IMG_9285IMG_9288IMG_9300IMG_9302IMG_9311IMG_9319IMG_9330IMG_9337

Anúncios

Food Park Vegetariano

O domingo hoje amanheceu chuvoso e frio por aqui e acabou estragando todos os nossos planos. Passamos o dia na maior preguiça, jogados no sofá e assistindo televisão. Mas no fim de semana passado, aconteceu aqui em Recife uma Feira Gastronômica Vegetariano que reuniu diversos food truck tradicionais daqui com cardápio diferenciado pro evento. Fomos lá conferir e não conseguimos nos controlar. Provamos quase todas as comidas que tinham lá e estava tudo muito maravilhoso!!

Tinha feijoada vegana, comida árabe, hambúrguer de grão de bico, doces maravilhosos, pizza, sushi e cerveja, MUITA cerveja. Chegamos na hora que abriu e só saímos porque realmente não cabia mais nada na nossa barriga. Tiramos poucas fotos nesse dia, mas gravamos alguns vídeos só tive tempo de editar hoje, então confere aí nosso rolê gourmet de domingo.

 

2 lugares que você não pode deixar de conhecer em Pipa

Já falamos o quanto gostamos de Pipa. Pipa sempre nos surpreende positivamente e, principalmente, quando se trata de gastronomia. A cada esquina você entra um restaurante melhor que o outro e a vontade é de poder ficar um mês na cidade para conhecer todos os restaurantes da cidade. Mas como ainda não deu para fazer isso, cada vez que voltamos lá, tentamos conhecer novos lugares.

Dessa vez não foi diferente, fomos a dois lugares espetaculares que vale a indicação!

1 – Mirante Sunset Bar

Chegamos nesse lugar sem querer. Na verdade, Ísis estava com muita vontade de comer crepe e conhecer uma creperia em Tibaú do Sul que é bem famosa pela vista do pôr-do-sol. Daí, ela disse que sabia onde era e eu confiei. Até que chegamos nesse lugar! E foi o “erro” mais acertado da viagem. O lugar é sensacional!

Para entrar é preciso pagar 30 reais por pessoa, mas essa entrada é revertida em consumação no bar. Já na entrada dá para perceber que vale a pena as dilmas gastas! O lugar é dentro de uma mini mata com uma escadaria que te leva aos mirantes. São 10 mirantes e quanto mais alto, mais bonita é a vista. Isso foi o que os garçons falaram, porque ficamos muito satisfeitos com a vista do mirante 1.

Lá tem várias opções de petisco. Comemos a Manjerichetta, que é uma bruschetta feita com pão de manjeiricão, muito foda! Ísis ainda pediu uma Açaíana, que é uma sobremesa de açaí com sorvete de banana e segundo ela estava muito bom!

A única parte ruim do lugar é que no dia que fomos estava muito abafado e sem vento, e acabamos sendo atacados por muitos mosquitos. Então nossa dica é: levem repelente (mas não deixem de ir, porque mesmo com mosquitos vale muito a pena)!

2 – Restaurante Amô

O restaurante Amô nos chamou atenção desde o dia que chegamos em Pipa, primeiro porque era super perto do hotel que ficamos e porque as propagandas eram engraçadas e atrativas. Almoçamos lá no nosso último dia e ficamos chateados de ter ido só no último dia e ter “perdido” de almoçar lá todos os dias da viagem. Hahahaha.

O lugar é massa! Desde a decoração até a comida, tudo muito bom!  E nossa dica nesse restaurante é: o Ceviche de entrada e a Brownioca de Chocolate de sobremesa. O prato principal estava gostoso, mas a entrada e, principalmente, a sobremesa se superaram. Estamos pensando em voltar em Pipa só para comer aquela Brownioca de novo. hahahaha!

 

 

Smoothie de frutas vermelhas

O smoothie de frutas vermelhas é a receita que mais temos feito ultimamente aqui em casa. Ísis adora e quando estamos brigados é o que faz ela ficar feliz, kkk. Mais falando sério, é uma otima opção para quando estamos sem tempo e querendo tomar algo gostoso e que mate a fome.

A receita é simples e só tem três ingredientes: frutas vermelhas, iogurte natural e água. A gente gosta de usar pelo menos dois tipos de frutas vermelhas (amora + framboesa é a que mais gostamos!) e usamos o mesmo pote do iogurte para medir a água, a medida que usamos é de 1 pote de iogurte para 1 pote de água. Então, é só jogar tudo no liquidificador, bater e tá pronto!!

IMG_6612IMG_6621IMG_6623IMG_6627 IMG_6944 IMG_6949 IMG_6952

Abobrinha Recheada

Esses dias que estou ficando mais tempo em casa, tenho tentado ser uma pessoa mais saudável. Como semana passada obriguei Manel a não comprar nenhum congelado, prometi que faríamos mais comida naturais, já que nosso carrinho só teve praticamente vegetais e frutas. Daí resolvi preparar uma receita diferente, porque comer a mesma salada todos os dias enjoa né?

Essa receita, na verdade foi uma adaptação de outra que eu vi na internet, o nome era pizza de beringela, porém as beringelas que tinham aqui em casa estavam estragadas. Então, eu resolvi usar a abobrinha e ficou maravilhoso.

Vamos a receita:

Ingredientes:  1 Abobrinha | 1 lata de atum | 2 tomates | 1/2 cebola | Azeite | Pimenta a gosto

Modo de Preparo: Primeiro você corta a abobrinha em fatias de mais ou menos 2 cm, coloque em um refratário, rega com azeite dos dois lados e leva ao forno por aproximadamente 15 minutos até ela dourarem. Retire do forno, vire todas as rodelas de abobrinha, coloque o recheio e volte ao forno por mais uns 10-15 minutinhos, até ela assarem.

Para o recheio, você refoga a cebola com o óleo do próprio atum, depois junta os tomates cortados em cubinho e o atum. E tá pronto!

Quem testar a receita, depois conta a gente se gostou :)

IMG_6643IMG_6649IMG_6655IMG_6659IMG_6668 IMG_6661IMG_6664IMG_6667