Playlist: Para dias tranquilos

Domingo dos pais, dia de almoço em família, de aproveitar para ficar com quem a gente ama e nos faz bem. A playlist de hoje é pra dias como o dia hoje, cheios de tranquilidade.

*Click na imagem para escutar ↴

dias tranquilos

1 – Ben Howard – Further Away

2 – Ingrid Michaelson – Over the Rainbow

3 – Cícero – Tempo de Pipa

4 – Coldplay – Fix You

5 -Joshua Radin – One of  Those Days

6 – Andrew Belle – Oh My Stars

7 – Mallu Magalhães – Versinho Número Um

Playlist: Para dias felizes

Domingo é sempre um dia chato e só de pensar que amanhã começa tudo novamente, bate uma tristeza… Mas esse domingo eu não tenho direito de ficar triste! O nosso fim de semana foi maravilhoso, resolvemos várias pendências e fechamos o melhor contrato do casamento: a lua de mel! ♡

Vamos para um destino maravilhoso e que queríamos muito! Então, hoje fiz uma playlist só com músicas felizes e animadas para combinar com meu estado de espírito desse fim de domingo.

*Click na imagem para escutar ↴

baloes

 

1 – Asa – Why can we

2 – The Bird and Bee – Heard on the radio

3 – Ingrid Michaelson – Be OK

4 – The Krooks – Young Folks

5 – Two doors Cinema Club – Undercover Martyn

6 – Phoenix – Liztomania

7 – Foster the People – Pump up kicks

8 – Mat Kearney – She got the honey

Para embalar domingos

Hoje é domingo e apenas isso é suficiente para classificar o dia como “um dia preguiçoso”. Como o dia amanheceu frio e acompanhado de chuva, resolvi fazer essa mixtape para aquecer e embalar esse fim de domingo chuvoso.

rainy day

1 – The Strokes – I´ll try anything once

2 – Cícero – Ensaio sobre ela

3- Ellie Goulding – Your song

4 – Marcelo Camelo – Vermelho

5 – Arnaldo Antunes – A casa é sua

6 – Beirut – Sunday smile

7 – Little Joy – The next time around

 

Aperta o Play: The kooks

Confesso que ando viciada em música indie. Mas meu coraçãotambém bate forte por um rockzinho, de leve. Dai um dia eu estava assistindo um vídeo e a música de fundo me chamou atenção, a música eu já conhecia, era Young Folks. Mas o que me chamou atenção foi o arranjo, a versão, sei lá como se fala. O que importa é que eu achei massa e pedi ajuda ao Shazam (o Pablo do iPhone), e foi assim que eu conheci e me apaixonei pelo The Kooks. Estou em um relacionamento sério com os caras, eles fazem um rock indie da melhor qualidade, baixei a discografia completa e não consigo escutar outra coisa.

Aperta o Play e vem ser feliz comigo ;)

 

Um som de seis anos atrás.

As vezes eu me esqueço que eu gosto das coisas. Acontece sempre com as bandas que eu curto. Eu amo, amo tão intensamente que só consigo ouvir aquilo por dias, as vezes por meses. E escuto tanto que chego a enjoar e deixo pra lá. Os vizinhos quase piram com minha obsessão momentânea.
A verdade é que eu deixo tão pra lá que até esqueço que banda existe, até tocar o primeiro acorde de qualquer música que o amor desenfreado volta e parece que volta mais forte. E é uma nostalgia tão boa. Porque, de fato, poucas coisas nessa vida são capazes de me fazer viajar no tempo como a música faz. Posso enumerar apenas mais uma, fora a música: aromas. Mas a música é tão mais intensa nesse quesito que quando eu escuto eu quase consigo viver/sentir o cheiro/a cor/sabor do momento novamente de tão próxima que eu me sinto das lembranças a que ela me remete.

Death Cab for Cutie é minha máquina do tempo do momento. Ela me leva pra 2008, um ano que eu descobri o amor e toda a reciprocidade que esse sentimento acompanha (quando ele acontece na hora certa e no momento certo). Death Cab foi trilha dos momentos mais lindos vividos nesse ano e nos seguintes também, porque minha loucura por eles não foi tão momentânea assim não, mas foi muito intensa e deixou boa marcas. Não sei nem dizer que música eu gosto mais, tem as mais ouvidas, mas não elejo-as como as mais amadas, porque quando eu escuto as outras, meu coração fica em dúvida. Na dúvida eu digo que amo mesmo, amo muito, amo Death Cab e tudo que ele me faz sentir/lembrar. ♡