Lisboa é incrível sim!

Chegar em Lisboa foi como chegar ao paraíso. Depois de quase duas semanas sofrendo para se comunicar, passando altos perrengues, ouvir o comissário de bordo, o atendente do aeroporto, o garçom, a moça da loja de roupas e as pessoas nas ruas falando português nos fez sentir em casa! E mais, nos fez amar Lisboa com todo o nosso coração.

Esse vídeo é das nossas primeiras horas em Lisboa e apesar de só termos ficado quatro dias nessa cidade, deu para conhecer um monte de coisas e se apaixonar para sempre por essa terrinha. Nossa vontade é de voltar para lá, todos os dias! :)

 

Anúncios

Nosso pôr do sol

Se eu fechar os olhos, consigo escutar o som dos passáros, sentir o sol queimando meu rosto, ver o seu sorriso e a luz bonita do entardecer iluminando aquele momento. Aquele era nosso último dia no destino mais esperado das nossas férias e era nossa última oportunidade de ver o pôr do sol do mar Adriático. Eu nem sabia que esse mar existia e nem muito menos que ele seria tão lindo assim. Você que sempre sabe sobre geografia, sobre história, sobre matemática, sobre tantas coisas que eu nem consigo enumerar… tratou de me mostrar no mapa antes mesmo de pisarmos lá pela primeira vez.

Naquela tarde, não falamos muito, não lembro de diálogos. Lembro de um silêncio tranquilo, de olhar para você, só olhar e isso bastar. Lembro dessa sintonia nossa, dessa troca de olhares que fala tanto. Lembro de não precisar dizer eu te amo naquele momento, mas mesmo assim dizer. De dizer eu te amo com todas as letras e sem nenhuma delas também.

Naquela tarde nos abraçamos mais do que todas as outras, sorrimos com o corpo. Dançamos, rodamos, como um ritual, tão nosso, em todos os lugares. Só eu e você. Uma soma que dar sempre mais do que eu consigo imaginar. Dois e um. Aquele dia foi emocionante.

Ali naquela muralha, local de chegada e de partida. Muitas pessoas cruzaram por nós naquela tarde e só nós ficamos. Talvez, quem passou entendeu que aquele era nosso momento e com educação não quis atrapalhar. Não tinha ninguém, mas poderia ter mil e ainda seria só eu e você e o nosso pôr do sol.

DSC00087DSC00088DSC00091DSC00098DSC00099DSC00101DSC00105DSC00107DSC00117DSC00120DSC00122

Reflexões de muito calor em Roma…

Eu sou uma pessoa que não sabe lidar com extremos de temperatura. Muito frio ou muito calor me fazem ficar de mal humor. Se eu fechar o olho e pensar nas vezes que passei por momentos de extremos, lembro claramente de duas viagem: Rio de Janeiro em Janeiro de 2015 e Roma em Julho de 2017.

Esses foram, sem dúvidas, os momentos que mais senti calor na minha vida inteira. Lembro que era a minha primeira vez no Rio (a cidade que mais tinha vontade de conhecer no Brasil) e simplesmente odiei por conta do calor que não me deixou querer conhecer nenhum lugar que não tivesse um ventilador ou um ar-condicionado por perto. Mas tive a chance de voltar no Rio, um ano depois, em uma outra época e fiz as pazes com aquela cidade maravilhosa.Roma foi minha segunda experiência de calor extremo e talvez eu não tenha oportunidade de dar uma nova chance a ela, como dei ao Rio.

Chegamos em Roma, no final de tarde e ao sair da estação de Termini, já senti o bafo quente subir do chão. Ao chegar no hotel que havíamos reservado: overbooking. O hotel nos transferiu para outro que: o ar-condicionado não pegava! Bom, veja que Roma não tava querendo ser minha amiga, mas tentamos manter o bom humor, pelo menos nessas primeiras horas em terras italianas.

Nosso primeiro dia de verdade lá foi no Vaticano, lugar que você precisa estar coberto para entrar, ou seja: mais calor! Sério, quando deu meio-dia desse dia, minha vontade era só de pegar um vôo e ir direto pro Alasca me refrescar. Daí pra frente, conhecemos outras coisas, todas as pizzas e fontanas e estátuas famosas e ruínas, só que de bastante mal-humor. Manel tentou fazer piada, ajustar o roteiro, mas não teve jeito. Eu odiei Roma do início ao fim e meu estado de espírito não conseguia achar a beleza que todo mundo falava de Roma.

Quando voltei para Recife e comecei a editar os vídeos da viagem e ver as fotos, cheguei a uma conclusão: Roma não é tão ruim assim! Até arrisco dizer que senti mini arrependimento de ter deixado o mal-humor tomar conta de mim. Talvez, eu nunca aprenda a lidar com esses extremos de temperatura, mas prometo a você, Manel, que na próxima viagem ao calor tentarei lidar melhor com isso. ;)

C0004T01C0009T01C0019T01C0029T01C0033T01C0036T01C0061T01C0073T01C0077T01C0124T01C0129T01C0149T01C0152T01

Assista nosso último vídeo de Roma:

 

 

Sveti Jakov é inacreditável.

Quando você coloca no google “Dubrovnik”, todas as imagens (ou a maioria) são de Banje, uma praia que fica logo ao lado da cidade murada, que é linda mas por ser tão perto acaba sempre lotada.

Somos pessoas difíceis (para não dizer chatas!), não gostamos muito de agitação e praia é um lugar que precisa ser calmo, quase que exclusivo. E foi aí que descobrimos Sveti Jakov. Saímos de Recife decididos procurar essa praia e ela não nos decepcionou.

Sveti Jakov é uma pequena praia de Dubrovnik, ela fica mais afastada e o acesso não tão fácil, é preciso descer uma escadaria enorme para chegar até ela, mas todo esforço vale a pena. Quando você chega lá e tem a visão dela de cima, sério, você tem certeza que Deus existe e o quanto que ele nos ama para ter feito cada pedacinho lindo de mundo como esse.

Sveti Jakov entrou para lista das praias mais lindas que fomos na nossa vida e todos os dias eu acordo com saudade de lá…

FullSizeRender 3C0044T01IMG_1292IMG_1294IMG_1296IMG_1297IMG_1302FullSizeRenderFullSizeRender 2IMG_1309IMG_1313IMG_1314C0039T01FullSizeRender 4C0043T01C0062T01C0065T01