Nossa decoração de Natal

Esse ano vamos passar o Natal em casa e queríamos uma decoração bem nossa cara para comemorar essa época linda do ano. Queríamos algo diferente dos anos anteriores, nada muito artificial e que fosse a nossa cara.

Nós não somos muito adeptos às arvores artificiais. Achamos meio down a ideia de comprar um enfeite que ocupar muito espaço e que passa 11 meses dentro de uma caixa.  Nada contra quem gosta tá? Essa é só nossa opinão e também é de agora, o que não impede que daqui a alguns anos, mudemos de ideia. Mas enfim, voltando a decoração… Escolhemos, então, uma palmeira para ser nossa arvore de Natal. Assim, após o período natalino, ela pode continuar compondo nossa casa.

Comprei algumas bolinhas coloridas e o resto fui adaptando o que já tínhamos aqui em casa. O resultado da decoração tá no vídeo, assiste aí para conferir e dizer o que achou!

 

Menos é mais!

Engraçado essa nossa mania de complicar a felicidade. Eu tenho um monte de desejos, mais tantos que fico pensando se preciso disso tudo mesmo para ser feliz. Às vezes, fico chateada por não poder fazer algumas das coisas que quero, quando, na verdade, vou perdendo tantos momentos de  felicidade pelo caminho. Por que a gente complica tanto hein? A vida é tão mais simples…

E olhando essas fotos do nosso domingo, não consigo pensar em nada além de agradecer pela vida ser tão boa. A gente precisa de tão pouco para ser feliz que acho que tenho que riscar alguns itens da minha lista de desejo. Definitivamente: Menos é mais, principalmente quando se trata de felicidade!

img_0138img_0157img_0142img_0148img_0144img_0145img_0152img_0159img_0162img_0164img_0134img_0163

 

Parece só uma penteadeira, mas não é!

Faltavam quinze dias para o dia dos namorados, estávamos deitados, enquanto Manel assistia futebol/Resenha de futebol/Reprise de jogo de futebol (sim, ele assiste o jogo e a reprise)/Qualquer coisa sobre o tema, eu fazia mais uma das milhares de listas online de futuras compras (sim, sou viciada em entrar nos site e simular compras! #medeixa).

Naquele fim de domingo, quando entrei no site das Americanas, encontrei essa belezinha aqui. Eu que sou a louca do Pinterest, bati o olho de raio x e já visualizei o pontencial incrível dessa mesinha branca, reta e simples, virar a MINHA penteadeira.

-“Manel, é essa!” -“Essa amor?” (ar de decepção pela simplicidade do móvel ou de desprezo por eu ter atrapalhado o futebol para decidir coisa de mulher sobre a qual ele não sabe opinar!)

-“É! Essa!”

E assim compramos ali mesmo aquele movelzinho. Manel queria que chegasse antes do dia dos namorados para não perder a graça da coisa. E chegou! Exatamente três dias antes e no mesmo dia montamos porque estávamos muito ansiosos. “Mas é só uma penteadeira!” Pode até ser, mas não é! É o tempo de espera e a paciência de esperar a nossa casa ter tudo que precisávamos para começar a ter tudo que queríamos.

Desde que ganhei esse presente, não sei quem anda mais feliz por aqui, se sou eu ou se é Manel quando me vê feliz sentada ali naquele cantinho. Engraçado como a felicidade contagia! Eu que nem sou tão vaidosa assim, sento naquela cadeirinha dourada e dá vontade de  passar o dia todo cuidando de mim, sorrindo na frente daquele espelho e pensando como esperar parece ruim, mas no fim é sempre bom!

IMG_9159IMG_9158IMG_9138IMG_9144IMG_9148IMG_9183IMG_9167IMG_9197 (1)IMG_9211IMG_9195IMG_9162

Como andam as coisas do lado de cá

Uma das vantagens do meu trabalho são os horários flexíveis. Tirando a faculdade à noite (que eu preciso bater o ponto de entrada e saída), durante o resto do dia eu fico muito livre para fazer meu trabalho conforme um planejamento que eu mesma faço semanalmente. Então sempre acaba sobrando espaço para umas manhãs ou algumas tardes em casa, que eu aproveito para fazer o que eu não consigo fazer na rua, como preparar aulas, laudos, enviar e responder e-mails. Isso é bom e ruim, porque eu trocaria alguns desses turnos por umas noites em casa, que é quando Manel está e podemos ficar juntos. Mas como nem tudo pode ser perfeito, ando satisfeita com meus horários como são.

Para quem não sabe, eu trabalho em três lugares, em dois hospitais de home care, visitando os pacientes que estão internados em casa e ensino em um curso de Graduação em Nutrição. Então minha vida é milimetricamente planejada para que eu possa dar conta de tudo isso.

Acontece que ultimamente eu passei por uns momentos ruins nos meus empregos e estava bem estressada, sem conseguir me organizar e dar conta das coisas que resolveram acontecer todas de uma hora para outra. E essa mudança de rotina mexeu com tudo por aqui… Manel sofreu bastante porque quando eu chegava em casa, ele tinha que escutar todos os meus desabafos, além de aguentar todo o estresse por tabela.

Nesse tempo acabei deixando de lado um monte de coisas que considero importantes, como por exemplo, cuidar da minha alimentação. Agora, graças a Deus a vida está voltando ao normal, estou conseguindo me organizar novamente, colocar as coisas em dia, não trabalhar nos fins de semana, cuidar mais da casa, da minha alimentação e voltar a passar algumas manhãs/tardes em casa. Então logo, logo vai ter algumas novidades por aqui também. :)
IMG_6595IMG_6598FullSizeRender 2IMG_6599IMG_6596

Os opostos se atraem

Eu sou bagunceira e ele fissurado em organização. Se ele quer melhorar meu humor, me leva no shopping. MAS, se tem uma coisa que o deixa feliz é guardar dinheiro na poupança. Enquanto ele pensa no futuro, eu não consigo planejar meu dia de amanhã. Deixo sempre tudo para fazer em cima da hora. Arrumar a bolsa do trabalho, separar meus lanches/almoço, olhar a agenda, pensar como vai ser o dia, e ele já na porta, com tudo organizado, só me esperando para ir pro trabalho. Todo dia reclama e diz que preciso me organizar na noite anterior e no dia seguinte, eu faço tudo igual.

Ele pensa demais e eu não penso duas vezes antes de tomar uma decisão. Tenho problemas com cardápios que oferecem muita opções, sempre demoro para escolher e nunca gosto do prato quando chega. Ele pega o cardápio, faz uma leitura dinâmica, escolhe rapidinho e, no final, tem que trocar de prato comigo. Eu não sei dividir comida, ele não faz questão do último pedaço. Eu acordo de mal humor e melhoro durante o dia. Ele acorda feliz e fica de mal humor no fim do dia. E fazem 7 anos que eu isso, ele aquilo.

IMG_4097