Um novo lar

Processed with VSCOcam with t1 preset

Quando você encontra o amor da sua vida, você encontra um lar. Você sabe que chegou no lugar certo e ali quer permanecer por muito tempo. Nada mudou, mas é como se tudo tivesse diferente. É como quando você limpa o para-brisa do carro que estava sujo, parece que o mundo tá mais colorido, mas não, está tudo igual, você só limpou uma sujeirinha que tava te atrapalhando de ver a vida como ela é.

Quando você encontra o amor da sua vida é assim, você aprende a ver a vida como ela realmente é. Parece clichê né? E é! O amor é clichê e brega. E por mais que você lute contra isso, quando você encontra o amor da sua vida, você também vai ser brega, vai mudar a voz ao falar no telefone, vai fazer ligação no meio do dia só pra dizer que está com saudade, você vai mandar flores, vai assistir comédia romântica, vai ficar melancólico a cada despedida, vai fazer isso e tudo mais que tiver de clichê e brega. E vai achar tudo normal. Quando você encontra o amor da sua vida, amar vira rotina. A vida continua igual, mas é como se tudo tivesse diferente. E está, porque agora você mora em outro lugar e tem alguém que mora em você.

 

O ápice do amor

Para ele uma conta conjunta, um anel no anelar direito e ser sua dependente no cartão de crédito: é o ápice do amor!

A nossa conta já é uma só, o anel já tá na posição, falta apenas um cartão de crédito. Visto que o cartão de crédito ainda não foi feito por motivos de consumismo compulsivo (da minha parte, é claro)… Acho que chegamos no ápice. ♡

Processed with VSCOcam with t1 preset

Na hora do almoço

Na hora do almoço, você me emprestou seu iPod. Você que nunca  lembra de nada, mas lembrou que o som do meu carro não estava pegando pen drive. Você que sempre diz que seu horário de almoço é curto e não dá tempo de fazer nada, além de almoçar, é claro. Você deitou de concha, assistiu um vídeo (de 6 minutos) e ainda lembrou que o som do meu carro não estava pegando pen drive e, carinhosamente, me emprestou o iPod. Tudo isso na hora do almoço. Talvez sua hora de almoço não seja assim tão curta. Ou talvez, então, você me tenha amor demais. Vou ficar com a segunda opção! ;)

Eu e tu

 

 

Fé.

– Você acredita em Deus?
– Claro que sim.
– Como é possível você crê tanto em algo que você não vê? – perguntou ele inconformado.
– Você acredita quando eu digo que te amo?
– Claro que acredito né mozinho!
– E como é que você pode acreditar tanto em algo que não vê?
– Mas eu vejo que você me ama a cada beijo, a cada gesto, a cada palavra… O seu amor está presente em tudo que você faz quando está comigo.
– Deus também! Ele está presente a cada sol que nasce e se põe, a cada pingo de chuva, e tá presente a cada suspiro meu, inclusive os de amor por você. Porque enquanto você descrevia o meu amor por você, eu consegui enxergar Ele em cada detalhe da sua descrição. E o que é este amor, se não Deus entre nós?

Ele sorriu, convencido. E enfim, entendeu que algumas coisas não precisam estar materializadas para existir. Elas se materializam na nossa existência.

Ela sorriu, tranquila.